Reparo - Fuja do problema

Não importa se a oficina é de confiança, antes de autorizar o conserto do veículo é preciso ter um orçamento com prazo de entrega e depois nota fiscal do serviço

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 27/11/2009 12:53 Pedro Cerqueira /Estado de Minas
Aluísio mostra o cartão com o orçamento do serviço da oficina e o recibo da queixa que registrou no Procon - Euler Junior/EM/D.A. Press Aluísio mostra o cartão com o orçamento do serviço da oficina e o recibo da queixa que registrou no Procon
O ditado popular assegura que o combinado não sai caro. Ao contratar os serviços de uma oficina mecânica, é preciso se precaver para evitar dores de cabeça. De acordo com Maria Laura Santos, coordenadora interina do Procon BH, para se guardar de possíveis problemas o cliente deve solicitar um orçamento, de preferência em papel timbrado, em que deve constar prazo de entrega do serviço contratado. Ao buscar seu veículo, o proprietário deve exigir uma nota fiscal ou ordem de serviço que assegure a garantia das peças e do serviço.

O artesão Aluísio da Silva não tomou nenhuma dessas precauções e por isso está convivendo com um problema dos grandes. Ele levou o seu Voyage ao Centro Automotivo Ipiranga, que na época funcionava no Bairro São Cristóvão, para consertar os estragos de uma batida na lateral direita do veículo. De acordo com Aluísio, o serviço de lanternagem e pintura foi contratado em 21 de novembro de 2007, há quase dois anos. Desde então, o artesão já gastou R$ 3.480 e o veículo ainda se encontra em poder da oficina sem que praticamente nenhum serviço tenha sido realizado.

O proprietário do Centro Automotivo Ipiranga, Francisco de Assis Pereira, alega que o serviço atrasou devido à transferência de sua oficina, que hoje funciona em um pequeno galpão, sem nenhuma placa, no Bairro Ipiranga. Ainda assim, no início de julho, Francisco prometeu pelo menos o serviço de lanternagem pronto até o fim daquele mês. De acordo com Aluísio, até hoje nada foi feito no veículo. A reportagem entrou novamente em contato com o dono da oficina, que prometeu entregar o veículo pronto até 20 de novembro. Aluísio afirma que essa é a estratégia usada por Francisco desde o começo, várias vezes marcou datas de entrega sem nunca cumprir.

O único registro que o artesão tem de que o serviço foi contratado junto à oficina é um cartão de visita com alguns orçamentos escritos com letras miúdas no verso. Em vez de nota fiscal, para comprovar o pagamento, existe apenas um recibo escrito à mão. Em julho, na presença da reportagem, o dono da oficina disse que providenciaria o orçamento do serviço e a nota fiscal de tudo que já foi pago por Aluísio, o que não foi cumprido. De qualquer forma, a representante do Procon BH garantiu que as anotações em poder de Aluísio são aceitas como documento para dar início a uma reclamação junto ao órgão de defesa.

Outro ponto contestado por Aluísio é o aumento do preço do serviço, informado somente depois que a oficina iniciou o trabalho no veículo. Francisco garante que o artesão autorizou qualquer serviço necessário para arrumar o carro. Para o dono da oficina, o primeiro orçamento não previa o conserto dos vários pontos de ferrugem encontrados quando começou o serviço no carro.

Olhos de lince

Saiba o que pode ser observado para saber se a oficina tem condições mínimas para garantir o serviço

Legalidade do estabelecimento
. Conferir os seguintes documentos, que devem estar afixados em lugares acessíveis aos clientes:
. Alvará de funcionamento: se não tiver, a oficina pode sofrer um embargo, e tudo que está lá dentro ficará retido.
. Alvará do Corpo de Bombeiros: é a garantia de que aquele imóvel está preparado para o combate a algum incêndio, com hidrantes e extintores.
Seguros
. Os seguros disponíveis e necessários para as oficinas mecânicas devem englobar os veículos e o imóvel. Caso aconteça algum revés, é uma garantia para o cliente e para a oficina. A apólice de seguro, com sua vigência, deve estar à disposição do cliente.

Cuidados
. É importante que seja feita uma lista que identifique os danos da carroceria e o estado de funcionamento de alguns acessórios.
. O veículo deve ser protegido com capas nos bancos e filme plástico no volante, manopla de câmbio e freio de estacionamento, se for o caso.

Estrutura física
. Espaço adequado para o cliente estacionar o veículo até ser
atendido.
. Se há áreas específicas para a realização de cada serviço.
. Recepção
. Sala de espera
. Área produtiva, onde ficam as bancadas, ferramentas, elevadores etc. O cliente deve ter acesso visual a esse espaço, mas não deve entrar para não correr o risco de se machucar.
. Escritório
. Estoque
. Ferramentas básicas e para serviços específicos

Fonte: Felício Félix, analista técnico do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi Brasil)
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009
01 de dezembro de 2009
27 de novembro de 2009